Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

acimadetudoviver

acimadetudoviver

Explicações

12.11.13, acimadetudoviver

Sempre que o meu filho me faz perguntas eu tento responder a tudo sem lhe esconder nada, e falo com ele como se de um adulto se tratasse porque sempre que ele não percebe ele diz e eu tento explicar-lhe de outra forma.

Há temas que não são fáceis de explicar a uma criança de 5 anos e por mais que se tente acabamos sempre por dizer: "quando fores mais crescido vais perceber", ora isto para o meu filho não é resposta pois ele gosta de tudo explicadinho e na hora. Foi o que me aconteceu ontem à noite quando estavamos nos preparativos para ir para a cama, o meu filho pergunta-me se quando nós morremos e vamos para o céu se depois regressamos e vamos outra vez para a barriga da mãe? Pergunta difícil, resposta mais difícil ainda! Resultado lá lhe fui tentando explicar que isso não é bem assim, e que de facto à pessoas que acreditam nisso mas não dessa forma, esta conversa terminou com ele agarrado a mim a dizer que queria a mãe e a familia dele, e lá acabei eu por lhe dizer que aquilo era um assunto complexo e que quando ele crecesse ia perceber melhor e que claro neste momento ele tinha a família dele e os amigos dele e não tinha se preocupar com isso!

Ficou tudo bem e tivemos uma noite tranquila!

Dúvidas 2!!

12.11.13, acimadetudoviver

Dando continuidade ao tema dúvidas, mais uma vez no campo pessoal, eis que sempre que existe uma pessoa na minha vida eu seja assolada por uma série de dúvidas, nomeadamente se eu correspondo ou não às expectativas da outra pessoa, se eu estarei ou não a sufocar essa pessoa, se lhe dou o espaço que ela precisa, enfim número astronómico de perguntas passa  pela minha cabeça, às vezes exteriorizo outras não, com medo de magoar, de achar que estou a ser intrometida.

Eu tenho um medo enorme de  "me estar a meter onde não sou chamada", de dizer ou fazer alguma coisa que possa desagradar a outra pessoa, isto é válido também para relações de amizade, e depois corro o risco de haver coisas que ficam por dizer ou fazer.

Isto pode ser  uma perfeita parvoíce, mas  é assim que eu sou! Estas minhas inseguranças, que eu me esforço por não deixar transparecer, às vezes tem o efeito maléfico e não abona a meu favor, uma vez que acabo por passar por insensível e por ser dura, quando isso não corresponde à verdade.

Penso muitas vezes que deveria deixar transparecer mais as minhas emoções, mas o receio de ser inconveniente ou mal interpretada é maior.

Acho que neste sentido preciso de ajuda, talvez se me soltasse mais, se fosse mais espontânea, fosse mais fácil dar-me a conhecer! Tenho que trabalhar neste sentido!