Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

acimadetudoviver

acimadetudoviver

Espetáculos Culturais

21.07.21, acimadetudoviver

Já aqui falei que este ano e meio de pandemia foi muito difícil para mim (chega a ser rídiculo sentir isto), em comparação com outras pessoas fui uma priviligiada, mas o facto de a minha "liberdade" ser condicionada é complicado, ainda que por um bem maior que é a saúde. Adiante, neste tempo todo de confina e desconfina o que mais senti falta foi de ir a espetáculos culturais e de passear, passear muito. Eu adoro andar na rua e todo o tempo que eu não estou a trabalhar é para sair, assim de cada vez que reabriam as salas de espetáculos e os museus o cartaz cultural era escurtinado de fio a pavio para descobrir o que nós iriamos assistir, assim o meu orçamento permitisse e iriamos ver todas as peças de teatro, todos os concertos, todas as exposições, enfim tudo, sim porque tento escolher espectáculos que vão ao encontro do que o meu filho gosta ou que acredito ser do agrado dele, pois é importante que ele tenha noção que a Cultura faz parte da identidade de um povo e é a melhor forma de aprender. 

Assim, o último espetáculo que assistimos foi o "Impressive Monet & Brilliant Klimt" que é uma projecção de luzes na Mãe de Água nas Amoreiras onde são projectadas as obras destes dois artistas e é de facto maravilhoso não só pela projecção mas sobretudo pelo lugar onde é apresentada, pois é um lugar pequeno com a presença de água e com o tecto em forma de cupúla a representação das obras através das luzes é único. E este lugar é de facto lindo, o Jardim das Amoreiras, onde fica a Mãe de Água e se inicia o Aqueduto das Águas Livres é o meu jardim preferido de Lisboa e descobri-o por acaso, foi num dia em que ia de eléctrico para a "Gomes Freire" (ia ao Arquivo de Identificação fazer o Bilhete de Identidade) e ao passar ali fiquei deslumbrada, aquele jardim parecia um lugar mágico, secreto como os das Histórias de Encantar, parecia impossível que eu a morar ali tão perto (na altura vivia em Campo de Ourique) não conhecesse aquele jardim que mais parecia de bonecas, todo arranjado, em que cada canteiro estava e está meticulosamente plantado.

É desta vivência de novas experiências e de ir a lugares que me fazem sentir bem que eu senti falta durante o confinamento, é a Cultura que me faz falta e é da Cultura que eu preciso quando a minha vida fica monótona porque me faz sonhar e é este legado, são estas memórias, são estes momentos vividos que eu prezo e me preocupo em deixar ao meu filho porque é o melhor que eu lhe posso transmitir. 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.