Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

acimadetudoviver

acimadetudoviver

O Outro Lado da Maternidade2

27.03.15, acimadetudoviver

Esta semana é o lançamento de um livro de Filipa Fonseca Silva que está a causar bastante polémica, o livro cham-se " O que uma mãe descobre" e fala sobre o que a autora sentiu quando foi mãe e sobretudo a parte menos boa de ser mãe, sim porque nem tudo são rosas. Eu descobri esta escritora à pouco tempo, mas gosto da forma como ela escreve, embora ainda não tenha lido nenhum livro, já li alguns textos do blog dela e também crónicas publicadas noutros blogs. 

Eu tenho lido alguns comentários a propósito do laçamento do livro e nem todos são amorosos, aliás alguns são bastante despristigiantes, claro que toda a gente tem direito a ter uma opinião, claro que há temas com os quais concordamos e outros não, o que eu não acho tão claro é que se insulte uma pessoa porque não se concorda com o que ela escreve, com a sua opinião que neste caso é baseada em vivências suas.

Eu já escrevi aqui sobre as pessoas expressarem as suas opiniões como se fossem verdades absolutas e isso não é bom, porque somos todos diferentes e por isso temos opiniões diferentes sobre vários temas.

A maternidade é um tema que levanta sempre muita polémica, ainda não percebi bem porquê, eu acho que é algo pessoal, que tem a ver com cada um de nós e como nós vivemos o dia-a-dia e também como fomos educados, o que resulta para uma familía pode não resulatr para outra. Eu costumo dizer que me sinto um peixe fora de água nas reuniões da escola do meu filho, mas desde sempre. A minha principal preocupação é que ele respeite toda a gente e que seja educado, não exijo mais nada de resto tem carta branca para tudo, quero é que ele seja feliz. Sou muito despreocupada, acredito que não vale a pena levantar dúvidas sobre coisas que ainda não aconteceram, não tenho a mania que o meu filho é melhor que os outros porque sei que as crianças tem uma imaginação fértil e daí espero as coisa mais mirabolantes. Costumo-me guiar por aquilo que eu fui em criança e apartir daí estou preparada para que o meu filho seja tão reguila ou mais do que eu.